07 maio 2018

Orar e agir para a edificação

"Ah! Senhor, estejam, pois, atentos os teus ouvidos à oração do teu servo e à oração dos teus servos que desejam temer o teu nome; e faze prosperar hoje o teu servo e dá-lhe graça perante este homem. Então, era eu copeiro do rei." (Neemias 1:11)

Os muros em Jerusalém estavam derrubados. Quando Neemias soube desta situação chorou muito, jejuou e orou perante o Deus dos céus. Orou confessando os seus pecados e os do povo. Orou para que a graça de Deus se manifestasse. Depois, falou com o Rei que lhe permitiu dar início à edificação dos muros.

A primeira coisa que devemos fazer perante muros derrubados é orar a Deus. A seguir, devemos começar a edificação e agir com fé. Deus quer edificar a sua igreja e conta com os seus servos. A primeira pedra para a edificação da igreja é a oração. As outras pedras implicam fé e acção.

24 abril 2018

Graça abundante

"E era um o coração e a alma da multidão dos que criam, e ninguém dizia que coisa alguma do que possuía era sua própria, mas todas as coisas lhes eram comuns. E os apóstolos davam, com grande poder, testemunho da ressurreição do Senhor Jesus, e em todos eles havia abundante graça." (Actos 4:32-33).

A morte repentina de Ananias e Safira infundiu reverência, unidade e comunhão na Igreja do primeiro século. A Igreja estava a começar e era preciso começar bem. A verdade, a santidade e a comunhão são fundamentais para o estabelecimento da Igreja. O despreendimento das coisas materiais e a partilha generosa eram uma realidade. A palavra de Deus, a fé e o amor cresciam (At 6:7). O poder do Senhor era real e havia graça abundante.

Estes primeiros momentos da igreja parecem sonhos distantes e até inatingíveis. Não penso que precisamos copiar a forma do modelo inicial da igreja do primeiro século (até porque a conjuntura é muito diferente), mas creio que aquele espírito de partilha, unidade, comunhão e amor deve continuar a ser vividos hoje. A abundante graça manifesta-se sempre naqueles que testemunham do grande poder da ressurreição do Senhor Jesus. Que a graça abundante do Senhor cresça em mim.

17 abril 2018

Despertamento divino

"Então, se levantaram os chefes dos pais de Judá e Benjamim, e os sacerdotes, e os levitas, com todos aqueles cujo espírito Deus despertou, para subirem a edificar a Casa do Senhor, que está em Jerusalém." (Esdras 1:5).

Os livros de Esdras e de Neemias surgem na seguimento dos acontecimentos do livro de Crónicas. Um grupo de judeus tinha sido levado cativo para a Babilónia (entre 605 e 586 A.C.) e agora, Deus estava chamá-los de volta para Israel. Lemos em Esdras 1:1 que Deus despertou Ciro, o rei da Pérsia, no sentido de permitir a saída para a edificação dos muros e do templo em Jerusalém. O Senhor despertou os líderes, os sacerdotes, os levitas e o povo para a edificação da Casa do Senhor. É Deus quem desperta os corações.

Zorobabel conduziu o primeiro grupo no início do império persa (cerca de 536 A.C.) e quase 80 anos depois, Esdras foi com um grupo menor. Esdras também dispôs o seu coração para buscar a Lei do Senhor e para a cumprir e ensiná-la em Israel (7:10). O escriba e sacerdote Esdras é um bom exemplo para nós. Devemos ter um coração disposto a obedecer a Deus e ensinar a Sua Palavra.

Esta simbiose de Deus em despertar corações para que se disponham para Ele é fundamental na edificação da obra do Senhor. É Deus quem nos desperta, somos nós que temos que nos dispor para Deus e para o seu serviço.

13 abril 2018

Paz na turbulência da vida

"Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim. Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim, eu vo-lo teria dito, pois vou preparar-vos lugar. E, se eu for e vos preparar lugar, virei outra vez e vos levarei para mim mesmo, para que, onde eu estiver, estejais vós também." (João 14:1-3).

Existam tantas coisas que afligem e perturbam o nosso coração. Nos sobressaltos desta vida estas palavras de Jesus apaziguam a nossa alma. Três verdades encorajadoras ressaltam destes versículos. FÉ (v.1) - Crer no Pai e em Jesus Cristo dá-nos paz. Quando acreditamos em Deus, sabendo que a vida é muito mais do que se vê, sente ou sofre, então sossegamos. O Príncipe da Paz pacifica a nossa alma turbada. ESPERANÇA (v.2) - Jesus promete o céu a todos os que nele confiarem na terra. Ele está a preparar-nos um lugar melhor que este. A nossa história, por pior que seja aqui, não acaba aqui. PAROUSIA (v.3) - Jesus vai voltar e levar-nos para Ele. A presença de Jesus é real nos nossos corações e virá o dia em que será uma realidade plena. Jesus Cristo é a esperança do coração aflito. Ele morreu, ressuscitou, está a preparar-nos lugar e vai voltar. Na sua presença há paz e descanso.

"Aquietai-vos e sabei que eu sou Deus" (Sl 46:10).

12 abril 2018

Sabedoria para a vida

"Então Deus disse a Salomão: Porquanto houve isto no teu coração, e não pediste riquezas, bens, ou honra, nem a morte dos que te odeiam, nem tampouco pediste muitos dias de vida, mas pediste para ti sabedoria e conhecimento, para poderes julgar a meu povo, sobre o qual te constituí rei, sabedoria e conhecimento te são dados; e te darei riquezas, bens e honra, quais não teve nenhum rei antes de ti, e nem depois de ti haverá." (2 Crónicas 1:11,12)

O segundo livro de Crónicas começa por dizer que o Senhor Deus era com Salomão (1:1). Ter Deus do nosso lado é melhor que ter todas as outras coisas. Certo dia, depois de Salomão e o povo terem oferecido mil hocaustos no altar de cobre, Deus disse-lhe para ele lhe pedir o que quisesse que lhe concedaria. Salomão pediu sabedoria e conhecimento e Deus deu-lhe isso e muito mais. Deus torna-se favorável a quem reconhece os seus muitos pecados e a quem é generoso em adorá-lo.

Sabedoria para viver é melhor que possuir todas as riquezas deste mundo, do que ter muitos bens ou muito tempo de vida. Não há ninguém mais sábio e sabedor que Deus. A sabedoria está em Deus. A presença de Deus na nossa vida torna-a mais sábia. A falta de sabedoria na vida estraga a vida. Quem tem falta de sabedoria, peça-a a Deus que Ele a todos dá liberalmente (Tiago 1:5).