06 junho 2017

Deus é a nossa alegria

"Senhor, não me repreendas na tua ira, nem me castigues no teu furor. Tem misericórdia de mim, Senhor, porque sou fraco; sara-me, Senhor, porque os meus ossos estão perturbados. Até a minha alma está perturbada; mas tu, Senhor, até quando?" (Salmo 6:1-3).

Este Salmo é o primeiro dos sete “salmos penitenciais” (6, 32, 38, 51, 102, 130, 143). David, o "homem segundo o coração de Deus", está a atravessar um momento extremamente difícil. "Até a minha alma está perturbada; mas tu, SENHOR, até quando?", grita David perturbado. Em prantos, David reconhece a sua própria fraqueza e suplica a Deus por perdão, livramento e salvação. Na sua misericórdia imensa, Deus ouve a oração e pacifica a alma de David (vers. 8, 9).

Quando confessamos os nossos pecados, Deus é fiel e justo para nos ouvir e perdoar (1 João 1:9). O perdão de Deus é o maior bálsamo para a alma atribulada. Noutro Salmo, este mesmo David reconhece que "o choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã" (Salmo 30:5). Deus é a nossa alegria e a cura para todo o tipo de tristeza e perturbação.