03 agosto 2017

Liberdade para não fazer tudo

"Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm; todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas edificam." (1 Coríntios 10:23).

Ao contrário do que muitos imaginam, os cristãos são livres para fazer todas as coisas. A liberdade é ar que o cristão respira. Por outro lado, sabendo o cristão que pode fazer todas as coisas, ele tem consciência que não deve dar lugar na sua vida a todas as coisas. Porquê? Porque nem tudo serve para glorificar a Deus e nem tudo vai abençoar a sua vida e a vida das outras pessoas à sua volta.

O problema não está propriamente nas coisas em si, mas nas consequências que elas provocam. E é certo que todas as coisas e todos os relacionamentos produzem consequências - boas ou más. Sabemos aquilo que nos convém através da Palavra de Deus, pela orientação do Espírito Santo, através de outros irmãos mais maduros na fé, algumas vezes, através das circunstâncias. A sabedoria está em escolher as coisas que nos ajudam a ficar mais firmes na graça de Deus e a rejeitar tudo aquilo que nos escravize, domine ou enfraqueça espiritualmente. Paulo já tinha referido anteriormente nesta carta, "Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm; todas as coisas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma" (1 Co 6:12).