04 agosto 2017

Morrer para nascer o amor

"E disse o Senhor Deus: Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma adjutora que esteja como diante dele. Então, o Senhor Deus fez cair um sono pesado sobre Adão, e este adormeceu; e tomou uma das suas costelas e cerrou a carne em seu lugar. E da costela que o Senhor Deus tomou do homem formou uma mulher; e trouxe-a a Adão." (Génesis 2:18,20-21).

Foi o próprio Senhor Deus que constatou que não era bom o homem estar só, ou seja, sem um ser semelhante a ele. Deus diagnosticou a necessidade e providenciou a solução. O sono pesado de Adão é um símbolo da morte. Assim como Cristo precisou morrer para a Igreja nascer, Deus fez Adão adormecer profundamente para que Eva nascesse. Num certo sentido, Adão "morreu" para o seu amor nascesse.

A mulher nasceu da costela adâmica, o osso e a carne mais próximas do coração. A costela protege e envolve o coração, o centro das emoções. Adão devia amar e reconhecer o precioso valor da sua esposa e Eva devia igualmente amar e cuidar do seu marido. O casamento só faz sentido com estes pressupostos: Deus juntando, o casal cultivando o amor, o cuidado e mantendo a ajuda mútua. "Vós, maridos, amai a vossa mulher, como também Cristo amou a igreja e a si mesmo se entregou por ela." (Ef 5:25).